quarta-feira, 13 de abril de 2011

Elaboração de textos acadêmicos - PARTE I (Resenha)

De acordo com Azevedo (2000, p. 31), uma resenha é uma “apreciação crítica sobre determinada obra”, pois visa incentivar a leitura de determinado texto (tese, dissertação, livro, artigo). Trata-se, geralmente, de um texto curto para publicação em periódicos especializados ou avaliação de desempenho em disciplinas específicas de graduação, mestrado ou doutorado. Para Lakatos (1986, p. 90), a resenha crítica é uma descrição minuciosa sobre o conteúdo de uma obra. Consiste na leitura, resumo, crítica e formulação de um conceito permeado por juízos de valor feitos pelo autor da resenha. A resenha visa apresentar uma síntese das idéias principais de uma obra.

Modelo de Estrutura

Segundo Azevedo (2000), a delimitação do tamanho da resenha crítica é determinada por quem solicitar o trabalho. A resenha crítica deve ter um título original e a redação do trabalho deve ser feita de maneira direta, ou seja, sem entretítulos. A passagem de uma parte para outra deve ficar evidente pela organização, articulação e encadeamento das idéias. No que se refere a sua estrutura, a resenha crítica têm três seções principais:

1) Introdução: uma breve apresentação que procura contextualizar o assunto, discutir sua relevância e localizar o leitor no espaço e tempo. O objetivo da introdução é interessar o leitor pela resenha e pelo tema em questão. A introdução deve ocupar entre 10% a 20% da extensão total da resenha.

2) Desenvolvimento: nesta seção, busca-se resumir (com ou sem crítica) o conteúdo do tema, destacando os principais conteúdos relativos ao assunto. O desenvolvimento deve ocupar entre 60% a 70% da extensão total da resenha. Ao final do desenvolvimento é interessante fazer uma transição para a crítica.

3) Crítica: este é o momento de enfatizar sua própria opinião sobre o tema. Ao estudar e analisar o assunto, o acadêmico reuniu uma grande quantidade de material. Desta forma, muitos aspectos podem ser considerados e relacionados. Neste momento, é preciso destacar de maneira ordenada as suas sugestões, propostas, críticas, conclusões e considerações finais sobre o tema. A crítica deve ter entre 20% e 30% da extensão total da resenha, apresentando um juízo objetivo e sintético sobre o assunto do trabalho.

4) Bibliografia ou referências bibliográficas (ABNT).


BIBLIOGRAFIA

AZEVEDO, Israel Belo de. O prazer da produção científica. 5. ed. Piracicaba: UNIMEP, 1997.

LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do trabalho científico: procedimentos básicos, pesquisa bibliográfica, projeto e relatório, publicações e trabalhos científicos. 2.ed. São Paulo: Atlas, 1986.

Um comentário:

  1. Admiro muito seu trabalho,continue-o e cresça sempre.

    Mariana Magalhães

    ResponderExcluir